Arquivos do Blog

PROCURA-SE

Procura-sePROCURA-SE

UM AMIGO PASSARINHO

ADJETIVA-SE

O PASSARINHO AMIGO

MODIFICA-SE

O SENTIDO DA EMOÇÃO

AQUECE-SE 

COM A EMOÇÃO SENTIDA

NUTRE-SE

DE FORÇA PARA VOAR

SUBSTANTIVA-SE

O VOO REFORÇADO

PROCURA-SE

CANTOR DESINTERESSADO

CHAMANDO-SE

À DESINTERESSADO CANTO

CLAMANDO-SE

POR EMPATIA DE ACORDES

AFINANDO-SE

OS CHILREIOS AFINS

PRODUZINDO-SE

HARMONIAS AGRADÁVEIS

RECIPROCANDO-SE

CONSONÂNCIAS EM COMPRAZIMENTO

PROCURA-SE

UM INCONDICIONADO AMIGO

ACREDITA-SE

NA AMIZADE INCONDICIONAL

APOIA-SE

AS CONQUISTAS DA VIDA

COMEMORA-SE

A VIDA CONQUISTADA

RESPEITA-SE

A HISTÓRIA DO SER

NÃO SE JULGA

O SER HISTORIADO

ASSIM, EXISTE-SE…

Anúncios

Para eles…

Ao menino, ao adolescente, ao jovem, ao senhor: para eles escrevo hoje… A razão, obviamente, é um paralelo ao post dedicado, anteriormente, às mulheres. E, para ser mais justa ainda, vou tentar parafrasear a frase que motivou o post Para elas. “Ele deve ser gentil, mas não pode ser fraco…”, igualmente dito em: “Ele deve ser forte, mas não pode ser rude…” O dicionário explica que forte é ser homem de ânimo e vontade resistentes, corajoso; já a fraqueza se manifesta no ser frouxo e covarde. Os antônimos gentil e rude continuam a ser paradoxais em atitudes amáveis versus atitudes grosseiras.

Essa busca de significados trouxe à memória o que já ensinava Aristóteles, há cerca de 350 a.C., quando dizia que o homem deveria aprender poesia e música, e, ao mesmo tempo, praticar exercícios físicos, a fim de equilibrar o desenvolvimento do espírito e da massa muscular – maridão ouviu isso de um professor, enquanto cursava Música, no STBNB.

Observando-se uma árvore, consegue-se perceber a força e a gentileza nela: no sustento que o tronco dá aos ramos, na sombra e alimento que as folhas e os frutos oferecerem, respectivamente. Obviamente, o tempo e os estímulos recebidos,  auxiliarão no processo de caracterização, tanto da árvore, quanto do homem. A verdade é que homens e mulheres são diferentes, tanto quanto árvores e flores.

Geralmente, as mães contribuem para acentuar isso, ao vestirem o menino de azul, colocarem o adolescente em escolas de futebol e fazerem tudo o que podem pelo filho, mesmo se já adulto, e com planos para se casar! Não as condeno e nem as justifico aqui; apenas apresento a realidade da família brasileira, vivenciada há tempos e ainda hoje!

Os ditados populares que o digam! Há várias afirmações que tentam definir o homem, do tipo: “Homem que é homem não chora!” #amaisarcaica; “Homem que é homem gosta de assistir aos jogos de futebol e nunca aos concertos de balé!” #apreconceituosa; “Homem que é homem tem a última palavra em casa!” #simsenhora! 😀 😀 😀

Falando sério, homem que é homem tem que ser firme, sim, a princípios e valores; tem que influenciar e não ser influenciado; tem que ter metas e foco; tem que ser racional, mas não ao ponto de esquecer que é um ser emocional também; que deve demonstrar o que sente, sem jamais envergonhar-se por isso; que depende de Deus e da sabedoria que vem dEle para viver; que precisa do amor divino para aprender a amar também.

Assim como o menino dos cinco pães e dois peixinhos, que foi generoso, ao dividir seu lanche – leia sobre ele em João 6:1-13; assim como os jovens Sadraque, Mesaque e Abednego, os quais se destacaram pelo conhecimento, mas não se iludiram e continuaram professando sua fé, independentemente das consequências – leia sobre eles em Daniel 1 a 3; assim como o rei Davi, que era valente guerreiro, mas também se dedicava à música – leia sobre ele em I Samuel 16:18.

Então, super-homens, curtam esta bela canção… E Deus, que conhece bem a natureza masculina, auxiliá-lo-a no cumprimento da missão e ensiná-lo-a a voar…

♥ ♪ ♫ Escrever! ♫ ♪ ♥

Que vontade de escrever… escrever… e escrever…! 

Uma das melhores professoras do tempo da faculdade, ao ensinar Literatura Infantil, falou sobre o “poder das e sobre as palavras”. Lembro vagamente do que ela falou, mas entendi que esse poder facilita muito a vida, abre mais portas, enfim, é o que praticamente move o mundo…

Dominar as palavras, saber combiná-las e harmonizá-las, enriquecer uma mensagem oral ou escrita, simplificar para atingir o objetivo da comunicação, adequar o conteúdo ao leitor ou ao ouvinte, discursar ou palestrar, enfim, brincar com vocábulos de forma a criar letras cantadas e até poesias: isso é mesmo realizador (!), mas, ao mesmo tempo, desafiador demais…

Os conhecimentos gramaticais, bem como os linguísticos, são necessários; os primeiros para formalizar, guiar-se pelas regras, e os segundos justamente para flexibilizar e tolerar as diferenças nas expressões múltiplas desse poder por parte de outros. Aliás, falando nisso, penso que esse respeito ainda precisa ser assimilado – mas isso é assunto pra outro possível post…

Inventores de versos que conseguem prender a atenção, escritores que provocam o reler e o parar para refletir, criadores de neologismos, com certeza, têm as palavras como suas servas. Viver isso é um sonho precioso, um acalento para a alma, uma canção para os ouvidos… Simplesmente amo escrever e, se necessário, reescrever e fazer os neurônios “fumaçarem” até que as palavras estejam subjugadas ao propósito em vista.

Repetindo o que já se disse inúmeras vezes, tanto a inspiração como o trabalho contam nesse obrar tão profícuo. Acredito que a maior fonte de inspiração é o Criador de tudo e Ele mesmo falou a Habacuque: “Escreva claramente (…), para que se leia facilmente.” Humildemente, peço a Ele que me abençoe nessa tentativa de viver fazendo o que gosto… Quero poder viver do palavrear em caracteres, do pintar do pensamento transversalmente ao ser, pois, para mim, isso é ESCREVER. Ponto final. 😉