UNO x VIDA

Só quem já jogou UNO sabe como é divertido fazê-lo, mesmo exigindo-se memorização e muita concentração, devido à variação das regras praticamente a cada cartada! Como em qualquer jogo, a sensação da vitória é o máximo!! Garanto que é mais fácil do que o xadrez, porque apenas administram-se as jogadas, enquanto o tabuleiro pede a criação delas.

Para quem quiser aprender, vale a pena clicar no link: Como jogar uno, e garantir muitas risadas…

Pensando nesta opção de lazer, imaginei a vida retratada nela. Comparando-se, inicialmente, não é possível jogar UNO sozinho e só também não se sobrevive…! É como Guga sempre me diz: “Não sei como tu viveste sem mim!!!” #modestohein! E eu respondo, dando “a maior corda”: “É mesmo, não sei como…!” 😛 Brincadeira à parte, acredito nessa necessidade do(s) outro(s) como humanos que somos.  Então, ♪ ♫ ♬ “eu preciso de ti, querido irmão” ♩ ♫ ♬… E o sentimento da utilidade recíproca é tão bom!!!

Continuando, cada jogador recebe o mesmo número de cartas e, quando nascemos,  todos recebemos a vida, a vontade e o livre arbítrio do Senhor Criador, independentemente da classe social, significando que há oportunidades para qualquer um que queira. Marginalizados são produtos que a própria humanidade elaborou, daí, infelizmente as desigualdades sociais existentes. 😦 Afinal, todos são/foram bebezinhos ingênuos e indefesos… Por isso é correto adotar a postura ensinada pelo Mestre dos mestres: “Não julgueis…” (Evangelho segundo Mateus, capítulo 7, versículo 1a).

Tirando-se as cartas numeradas – de zero a nove – ficam as especiais com variados efeitos. Se o participante anterior nos presentear com a carta +2, pode representar aquelas duas últimas semanas do mês, passadas a cuscuz e ovos, com apetite por biscoitos para os quais não se tem um centavo… Um dia, então, Deus envia os favoritos – PASSATEMPO, da marca Nestlé -, ao local onde se trabalha, através do garoto enjoado do lanche repetitivo… 😛

Caso sejamos “brindados” com a carta inversão, o jeito é esperar uma rodada, identificando-se aí o não passar no vestibular na primeira tentativa e frustrar-se por isso, mas, no ano seguinte, ser o primeiro colocado geral da Instituição escolhida! Realizando-se a possibilidade da carta bloqueio, consegue-se vislumbrar aquele currículo enviado para uma vaga da área editorial, cuja resposta esperançosa é um teste, com prazo para efetuação, no qual não se é aprovado(a)… 😦

Já a “poderosa” carta +4, nunca bem-vinda, simbolizaria a expectativa por continuar os estudos, por trabalhar na área da formação, por adoecer sem conseguir um diagnóstico e por morar longe da família, até que surja uma gravidez que ajude na identificação da causa da falta de saúde e um(a) filho(a) que, sem dúvida, é incomparavelmente superior a qualquer projeto e que ameniza a falta dos parentes…  ♥

O curinga chega entre sorrisos, como quando os momentos difíceis passam, quando os sonhos se realizam, quando Deus nos surpreende com Sua Vontade infinitamente mais sábia, realizadora e excelente do que a nossa…! E, para quem não vencer o jogo na primeira vez, não deve desistir e nem desanimar, pois ele é imprevisível, assim como acordar para um novo dia, cheio de ocasiões favoráveis e promessas!!! Ademais, jogar somente pelo lazer proporcionado também é válido e benéfico, assim como viver um hoje de tentativas para somente amanhã ou depois ter êxito! Então, vamos jogar/viver pacientemente?

Encantada para sempre…

Assisti, recentemente, ao filme “Uma mãe em apuros”, o qual retrata um dia na vida de uma senhora que é mãe, esposa, dona de casa, blogueira, e sonha em voltar a exercer sua profissão, como escritora de ficção. No dia em questão, ela precisa preparar a festa do sexto aniversário da filha mais velha. Acontecem vários imprevistos, enquanto a narrativa se desenrola em um ritmo ofegante, pois a personagem reside, se não me engano, em um sexto andar de um prédio sem elevador!

Em suma, ela fica sem o veículo da família, o qual é rebocado por causa da locação da rua onde mora para uma filmagem, e faz as compras de bicicleta, enquanto tenta enviar um texto de quinhentas palavras sobre a maternidade para um concurso; e, entre idas e voltas, tudo dá certo… O gênero do filme é comédia, mas não consegui sorrir tanto quanto esperava, pois achei a perspectiva materna da personagem um tanto negativa. Cito a conclusão do longa: 

“Maternidade implica aceitar as limitações de energia e tempo que se impõe a você, embora, às vezes pareça que podem consumi-la. Busque e agarre seu verdadeiro eu. Se você perder isso, que tipo de mãe pode ser? As coisas estão sempre mudando, por mais que queiramos que continuem como são. Pode tirar uma foto dos seus filhos a cada dia e a cada dia eles vão ficando mais velhos. É um fato. Um fato desalentador. Ainda assim, um fato. Agarre seus dias e viva plenamente. Conte com seus filhos, pois eles sabem viver breves períodos de tempo com extrema paixão e, francamente, apenas pelos momentos em si. Lembre-se:  eles podem ajudar você, se você deixar que ajudem. Sinta-se afortunada e é bem provável que seja, realmente!”

Começo discordando quanto à limitação de tempo, pois o que ocorre, na verdade, é um redirecionamento de hábitos e atividades, priorizando-se as necessidades do(a) bebê. Também acredito que o “eu” muda e para melhor, amadurecendo a mulher, tornando-na mais humana ou menos egoísta. Quanto ao fato do crescimento/desenvolvimento da criança, eu o vejo fantástico!!! É a engrenagem da vida!!! Como pode ser desalentador? Já aprender com o(s) filho(s), com certeza, é sábio e enriquecedor. E tê-lo(s) é benção, presente, fortuna, tesouro precioso, “herança do Senhor”! Portanto, não recomendo o filme…

Estou, desde que Samuel nasceu, encantada para sempre com essa figurinha sorridente e forte! Admiro cada bocejo, cada espreguiçar, cada adormecer… Sorrio com cada caretinha, com cada som emitido, ainda que ininteligível,… Aplaudo cada eructação, flatulência e defecação, pois reconheço o bom funcionamento do seu organismo… Seus vários choros são alvo de terna atenção… E as risadas, então? São mais uma das razões do aumento da paixão por ele… Enfim, viver a maternidade é puro amar…! Amar e agradecer a Deus por ter-me confiado os cuidados por esse serzinho, que é mais dEle do que meu, eternamente!

Samuel 

Rotina: bem ou mal necessário?

Nunca fui amante da rotina, tanto que não consigo encontrar motivação para um trabalho repetitivo como o de um escritório, por exemplo. Essa característica faz com que encontre prazer em desafios e novidades, daí a paixão por ensinar, acredito. E nestes últimos dias um questionamento tem me perseguido: será a rotina um bem ou um mal necessário? A vida, por si só, é surpreendente e imprevisível. Os maiores valores não são os que podemos guardar e organizar em um baú ou prateleiras, e, sim, vivenciá-los, sabendo-os abstratos. Então, como enformá-los em algo meramente repetitivo e habitual, sem as mudanças provocadas pelo sentir, pelo ser?

Tentamos pragmatizar tudo, para facilitar e tornar mais organizada a sequência dos dias, a fim de parecermos estar no comando e de sermos os senhores da existência. Mas, basta um item cair da prateleira para sermos obrigados a parar e, quem sabe, mudar sua disposição ou até nos desfazermos dele. O inesperado sempre nos afeta, por mais que teatralizemos nossas reações. Diante disso, qual a conveniência de se estabelecer uma rotina, um planejamento, enfim, um adesivo identificando o conteúdo do pacote no baú? Qual a vantagem de se tentar colocar tudo em ordem? Há realmente alguém que consiga ser metódico e sistemático a vida inteira? Quem o é, instintivamente amará a rotina, ou vice-versa?

Além da própria vida, as diferenças na totalidade universal, também, vêm ditar o que será ou não alcançado, mensurado, efetivado… Quase nada e literalmente ninguém é igual, excetuando-se os bens industrializados, por exemplo, produzidos em grande escala e por máquinas. E, como se diz, graças a Deus pela diversidade! Imagine-se a monotonia em comportamentos idênticos e resultados sempre semelhantes… Diante da constatação de que a vida, com seus imprevistos, e as diferenças existentes incentivam a uma vivência nada rotineira, hão de se excluir os hábitos feitos sempre do mesmo modo, não é? 😀 Dá pra se imaginar todo o mundo quebrando seus relógios? 😉 Ambas as respostas são um sonoro NÃO!

Feliz ou infelizmente, a rotina é inerente à vida. Em conversa com o maridão, ele citou belos exemplos, como o dia e a noite, os seis dias da criação do mundo etc, sugerindo que, cada um deva entremear o seu dia a dia com coisas ou acontecimentos não costumeiros para evitar um regime de quartel, que acabe desmotivando o cumprimento das regras inatas à rotina. Sim, porque qualquer rotina só existe por causa de normas preestabelecidas pelos outros ou por nós mesmos. Um padrão é o dos horários das refeições, o qual, se não seguido, conforme nutricionistas, impede a perfeita absorção dos nutrientes. Então, cabe a busca do equilíbrio entre o que deve ser de praxe e lances criativos. Para quem não gosta da rotina, assim como eu, quem sabe, colocar a mesa da cozinha na varanda para o jantar, já faça toda a diferença! E, mais que tudo, pedir sabedoria do alto, para administrar os intervalos entre as práticas repetitivas das vinte e quatro horas que o Papai do Céu nos concede e permite… Ele sabe, melhor que ninguém, o que nos faz sorrir, não é, Samuka?

Samuel

 

Testemunhando – parte 1

“Assim diz o Senhor, aquele que o fez, que o formou no ventre, e que o ajudará: Não tenha medo, ó meu servo, a quem escolhi. Pois derramarei água na terra sedenta, e torrentes na terra seca; derramarei meu Espírito sobre sua prole, e minha bênção sobre seus descendentes. Não tremam, nem tenham medo. Não anunciei isto e não o predisse muito tempo atrás? Vocês são minhas testemunhas. Há outro Deus além de mim? Não, não existe nenhuma outra Rocha; não conheço nenhuma.

(Livro do profeta Isaías, capítulo 44, versículos 2, 3, 8)

Diante da divina e suprema grandeza do Deus do Universo, só posso me curvar em reverência e adoração… Diante do controle absoluto, justo e verdadeiro que Ele tem, só posso ser grata e mais dependente ainda… Diante do poder que opera milagres todos os dias, só posso testemunhar…

Como gestante de primeira viagem, tenho sentido todas as surpresas do milagre da vida que acontece em minhas entranhas… Como futura mamãe, descanso no cuidado e direção divinos, com as melhores expectativas possíveis, pois Ele é fiel… Como filha dEle, vou testemunhar a cada oportunidade ou sempre que quiserem ouvir / ler…

Não poderia jamais ser ingrata e deixar de registrar, aqui, tudo o que tem acontecido comigo / conosco durante este período tão especial de espera pela chegada do Samuel. Tudo confirma mais e mais o quanto Deus é bom! Tudo testemunha Sua misericórdia e graça para com o ser humano, imerecedor de qualquer mercê…

Como qualquer ser racional, eu planejava viver a gravidez de forma organizada e segundo o que se considera indispensável até se completar os sete meses. Explicando, eu almejava ter tudo o que Samuel precisará quando chegar ao mundo no seu devido lugar, para, então, apenas “curtir” os últimos dois meses… Enfim, resumindo, eu queria poder gerir e deixar cada detalhe pronto!

Mas, o Papai do Céu queria ensinar-me mais umas lições… E aí, a rapidez da concepção e a descoberta da existência de uma nova vida em mim, pegaram-me de surpresa! Estava vivendo um momento inicial da realização de um projeto individual, do qual tive que abrir mão, por causa de alguns dos primeiros sintomas… Com isso, aprendi que o tempo certo e o controle são do Senhor. Se for da Sua Vontade, terei sucesso nesse projeto e pronto!

Além disso, havia rejeitado oportunidades ótimas de emprego, pelas razões descritas em médicos e MÉDICOS, motivo para perguntar-me se teríamos condições de adquirir tudo o que Samuel precisaria a partir dos dividendos do papai Guga, como músico profissional… Só quem vive da Arte em nosso país, vai entender-me perfeitamente… Na verdade, essa foi a minha primeira “pré-ocupação” deste período. Então… começou a acontecer…

Inicialmente, a querida amiga, irmã e prima Silvinha indagou-me se já tínhamos o berço do bebê e se nos importávamos de receber um anteriormente usado pela filhinha Eyshila. Depois, a amiga, irmã e vizinha da época do Seminário, a Viviane, ofereceu-me o carrinho que fora usado pelo seu filhinho David – aliás, a criança mais inteligente que conheço!!! Dias após, na “despedida” informal do Pastor João Marcos e sua esposa Marluce, lá no Restaurante do irmão Nino, ganhamos a banheira, com suporte e trocador, a qual fora de Sofia, a caçula deles… Por último, a irmã, amiga e conterrânea Mirian, doou o “antigo” guarda-roupa da filhinha Manu…

E, tudo está como novo e é lindo de morrer!!! Deus é tão bom que, sem gastarmos um tostão, permitiu-nos termos o quarto do Samuka todo mobiliado e com tudo combinando perfeitamente!!! Como não dizer que o sobrenatural nos rodeia todos os dias? Até por meio de sonhos fomos ajudados! Um amigo e irmão, o Wildes, acordou sabendo que precisava ajudar alguém, e ao compartilhar com um amigo, este respondeu que entendia ser Guga o alvo da ação… Outra amiga e aluna do professor de violão Guga, a Gilmara, nos presenteou com as bolsas do bebê e também emprestará a cadeira de amamentação, a qual continuará sendo repassada para outras mamães que precisarem dela…

“Falando” em amamentação, um desejo era ter a almofada específica, mas ela havia ficado fora do nosso orçamento, diante de tantas outras prioridades no preparo do enxoval do filhão… Logo, chega-me às mãos, a bendita, costurada pela valorosa e caprichosa irmã, amiga e mãe dos gêmeos Alana e Natan, a Iraildes. Uma particularidade: com o cuidado de estampar uma clave musical, para combinar com o kit berço, presentão esse que veio diretamente de SC, perfeitamente preparado pela amiga Taciana… A Oma Renate, juntamente com amigas do Grupo de Artesanato da Igreja que elas frequentam, enviaram fraldas, lençóis, toalha com capuz e outras roupinhas. E os milagres não pararam…

Dos primos, amigos e irmãos Késia e Tércio, juntamente com o pessoal do grupo Christus, para quem o papai Guga fez arranjos musicais, vieram vários itens, tais como: pagão, mijão, mamadeiras, escova de cabelo, sapatos, bonés, macacões, meias, luvas etc…  A prima e amicíssima Cris, também em fase gestacional da primogênita Melissa, veio do RJ, especificamente para entregar-me alguns mimos, como um boné personalizado, bordado por ela mesma e um lindo tênis para o Sam, além de ter trazido bodies, mantas e outras peças, generosamente doadas pela prima tão querida, a Maricéia, as quais foram do pequeno Kauã…

Dos amigos e irmãos da Comunidade Batista da Graça, a mais linda festa surpresa para o chá de fraldas (fotos abaixo), que rendeu um total de quase mil e quinhentas unidades, além das diversas roupinhas, um tênis e fraldas de tecido, das amigas e irmãs Ana e Adlai!!! Não poderia deixar de citar, ainda, a Neuma, que teve o cuidado de dar ao Samuka as primeiras toalha fralda, meias e camisetinha… E, para incentivá-lo a seguir os passos do pai, o violão Takamine recebido do “sogrão” Alex… 😀

Alguém ainda pode descrer do agir divino diante de tudo isso? Deus é bom sempre e sua fidelidade constante! E agradeço a você, que disponibilizou seu tempo para ler esse post, pedindo-lhe que aguarde a continuação em Testemunhando – parte 2…

Chá de fraldas do Samuel

SER M♫Ú♬S♪I♫C♬O

“Entendes tu o que lês?”

Cito uma questão feita em um contexto bem diferenciado do qual pretendo apresentar hoje, através deste post. Para quem não a conhece, ela foi a introdução a um belo diálogo que se deu entre Felipe – apóstolo do Senhor Jesus – e um etíope, fato relatado no Livro dos Atos dos Apóstolos, capítulo 8, versículos 26 a 39. Nessa narrativa, a explicação dada sobre o profeta Isaías, cujo tema era o Salvador, mudou uma vida para sempre! Com certeza, a decisão tomada pelo etíope, provocou música entre os anjos…

E é a esta profissão que dedico esse post: o ser músico – cujo dia comemora-se hoje -;  motivada, também e principalmente, pela convivência com os acordes executados pelo maridão ♥ Guga ♥. Como um primeiro compasso, aplico a pergunta à dificílima tarefa da leitura musical.  A maioria das pessoas que Deus permitiu-me conhecer não sabe, não tem a menor noção, não considera nada fácil essa tarefa, ou seja, é analfabeta quando se lhe apresenta um sistema que traduz uma melodia / harmonia / ritmo, enfim, um som artisticamente e tecnicamente combinado, representado por figuras como semibreves, mínimas, semínimas, colcheias, semicolcheias, fusas, semifusas

Vocabulário estranho? Isso é o mínimo do conhecimento exigido, tanto teoricamente quanto na prática, do músico. Fica um pouco mais complicado quando aparecem os acidentesbemóis e sustenidos -, os quais podem ser, de repente, anulados pelo bendito bequadro. A complexidade cresce em andamento prestíssimo em uma partitura de canto coral: exige leitura da direita para a esquerda e de cima para baixo, passando pelas claves de Sol e , pelos sistemas vocal e instrumental, tudo isso simultaneamente!!! Ainda há os solos, cujos sistemas não tem nem colchete, nem chave para identificá-los.

Independentemente de ser um regente, um cantor ou um instrumentista, a dedicação reivindicada faz o músico ocupar horas e mais horas da sua vida. Como ainda se ousa diminuir ou desclassificar essa profissão? Quem o faz, é ignorante em todos os sentidos e não merece atenção alguma! Desabafos à parte, julgo o ser músico um privilégio, um dom ou talento divino, uma capacidade elevada, uma genialidade, uma inteligência especial entre as que o humano diz dominar… Aliás, será a música dominada pelo músico ou o contrário? Discorrendo como leiga, suponho que há uma fusão entre dominador(a) e dominado(a) enquanto surge mais uma composição

Enfim, os músicos tornam a vida melhor, com suas criações, as quais podemos ouvir e sentir… A dinâmica provocada na alma, do pianíssimo ao fortíssimo, faz acordar, reviver, sorrir, emocionar, sonhar, inspirar, dançar… Do retrato à epifania, isto é, do popular ao erudito, a música enobrece a continuidade da história, ao registrá-la através dos mais diversos estilos e gêneros – da bossa nova, sertanejo, pop rock, samba, forró à ópera, música barroca, clássica, contemporânea, etc.  Acredito que o bondoso Deus presenteou-nos com a música – “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, que não muda como sombras inconstantes” (Carta de Tiago, capítulo 1, versículo 17) -, ofertando-nos, assim, um vislumbre da Sua Plenitude…

Vamos, então, cantar para Ele?

 

HERANÇA

É POSSÍVEL UM CÉTICO RICO E/OU CONVICTO

SEGURO E INCONTESTÁVEL EM SUA CERTEZA

QUE ACREDITA EM SUA LINHA DE DEFESA

PERMANECER COM SEU PENSAMENTO INVICTO?

POR DESACREDITAR A DIVINA FÉ

DESCARTANDO O SOBRENATURAL

SOBRELEVANDO O EXPERIMENTAL

CONSIDERA O CRER CONTRAMARÉ

MAS, SE CONFRONTADO COM UM PRODÍGIO

UMA MARAVILHA, UM MILAGRE, UM PORTENTO

SUA CIÊNCIA SEM EXPLICAÇÃO A CONTENTO

PLANTA UMA DÚVIDA NO MENTAL FASTÍGIO

E A PRÁXIS EM DESCONFORMIDADE

PROVOCA ABERTURA PARA O DIVERGENTE

PESQUISA/POSSE DEMONSTRA-SE INCONSISTENTE

PROVANDO-SE DO SABER/TER A DEBILIDADE

ENTÃO, EM QUE ENCONTRAR DO VIVER O SENTIDO?

A INTELECTUALIDADE, A FORTUNA E A AMBIÇÃO

SEMPRE E AINDA ADMITEM UM VAZIO NO CORAÇÃO

POIS SUPERADOS SÃO POR RECENTE PERDIDO/DEFINIDO

ASSIM COMO NÃO HÁ ESCLARECIMENTO

PARA DA EXISTÊNCIA HUMANA O INICIAR

PARA DA TERRA O PERFEITO DELIMITAR

NÃO É POSSÍVEL MEDIR O SENTIMENTO

A EMOÇÃO ADVINDA DO ATO DE SE RENDER

À GRATIDÃO PELA GRAÇA ALCANÇADA

AO CONFIAR NA PROVIDÊNCIA ETERNIZADA

PRIORIZA O ESSENCIAL NESTE APRENDER

MAIS DO QUE COMPETÊNCIA E PODER

VALE TRANSMITIR BENDITA HERANÇA

PARA NORTEAR O CAMINHO DA CRIANÇA

PARTILHANDO-SE A VIVÊNCIA DO DEPENDER

O PASSO-A-PASSO GUIADO E PROTEGIDO

NO HONRAR AO SUPREMO, DE TUDO SENHOR

QUE FAZ BROTAR DA VIDA O VERDADEIRO ARDOR

A RAZÃO PARA SEGUIR ADIANTE DECIDIDO

A ESPERANÇA BASEADA NESSE ESCOLHER

NÃO SE DETERMINA PELA CIRCUNSTÂNCIA

NEM DESAFINA QUANDO EM DISSONÂNCIA

MAS É COMPOSTA EM ESCALA A CRESCER

O RESULTADO É UMA PAZ QUE PERDURA

UMA ALEGRIA REAL E  INDEPENDENTE

UM ROSTO SERENO SEMPRE SORRIDENTE

UM LEGADO DIGNO À GERAÇÃO FUTURA

ENFIM, A RESPOSTA À INICIAL QUESTÃO

FICA MAIS DO QUE EVIDENTE E LUZIDIA

QUEM DE SUAS ENTRANHAS UM SER PROCRIA

JAMAIS PERMANECERÁ EM CONFUSÃO

ESSE FENÔMENO CRIADO COM TANTA DESTREZA

NENHUM LABORATÓRIO CONSEGUIU REPRODUZIR

CONSTATANDO-SE O SUPERIOR E ETERNO EXISTIR

DE DEUS, O INIMITÁVEL INVENTOR DA NATUREZA

O CETICISMO E A OPULÊNCIA PERECEM DIANTE  DA VERDADE

O ORGULHO E A SUFICIÊNCIA CEDEM LUGAR AO RESPEITOSO TEMOR

AS PALAVRAS SÃO POBRES E MODESTAS PARA EXPRESSAR O LOUVOR

SÓ PERTENCENTE AO GLORIOSO SENHOR DE TODA A HUMANIDADE

AMÉM E AMÉM!

Baseado no Salmo 78, versículos 4 e 7: “Não os esconderemos dos nossos filhos; contaremos à próxima geração os louváveis feitos do Senhor, o seu poder e as maravilhas que fez. Então eles porão a confiança em Deus; não esquecerão os seus feitos e obedecerão aos seus mandamentos.”

Dieta: fácil ou difícil?

Econômica ou onerosa?

Simples ou complicada?

Contínua ou ocasional?

Prazerosa ou angustiante?

Opcional ou indispensável?

Independentemente das respostas, uma dieta muda a vida de quem quer ou deve segui-la! Pode ser um regime cujo objetivo é a perda de alguns quilogramas ou a abstenção de alguns alimentos por problema de saúde.

No primeiro caso, acredito que seja mais fácil, pois não é necessário radicalizar-se a proibição da ingestão dos pratos favoritos e costumeiramente consumidos. Basta o aprendizado do equilíbrio nesse processo e, quiçá, a introdução de poucos elementos novos, como mais frutas e hortaliças.

No segundo caso, a dificuldade está mais presente, devido à absoluta evitação de elementos presentes em alguns alimentos, os quais provocam efeitos nocivos em organismos com intolerâncias, alergias ou doenças diagnosticadas. Talvez – como no meu caso (motivo da dieta em “médicos e MÉDICOS”) – seja indicada, inicialmente, uma detoxificação, o que aumenta ainda mais as proibições.

Algo comum a ambas as situações é o período de adaptação, durante o qual podem aparecer o desânimo e o desejo de transgredir as novas regras! Aí precisam entrar a real tomada de decisão, a determinação, a força de vontade, a persistência, e a autoestima equilibrada, pois, como se diz “quem (se) ama, se cuida”, não é? Toda a firmeza exercida nesse processo terá, sem dúvida, recompensa futura.

A escolha pelo prato mais saudável hoje, redundará em mais saúde amanhã. O  optar por uma salada de hortaliças ao invés de uma porção de batatas fritas, diferenciará a extensão que o ponteiro da balança de massa corporal alcançará em mais algum tempo. A preferência por nutrientes que se completam – por exemplo, ferro e vitamina C -, auxiliará na absorção deles.

Enfim, o discernimento na seleção entre uma fatia de torta alemã versus um cacho de uvas, entre um copo de coca-cola versus um suco de acerola, entre um filé à parmegiana versus um filé de salmão americano, entre uma salada de batatas com maionese versus uma salada de batatas com azeite, demonstrarão se o compromisso com a dieta é verdadeiro ou não.

Assim, uma dieta é um reflexo da vida… Repleta de pequenas resoluções, que somadas, são determinantes. Hoje podem parecer insignificantes, ser quase imperceptíveis, mas amanhã aumentarão em valor e percepção. Hoje podem parecer esperteza e ganho, mas amanhã representarão tolice e perda. Hoje podem parecer bem-sucedidas, mas amanhã provocarão dores. Hoje podem parecer prazerosas e inofensivas, mas amanhã serão tristes e fatais.

Hábitos como:

  • salgar sempre mais um pouquinho o seu prato. O pouquinho torna a ação insignificante, mas um diagnóstico de hipertensão muda tudo…
  • almoçar às pressas para aumentar as horas extras de trabalho. O adicional no salário é ganho, mas um quase infarto por causa do estresse acumulado obriga uma modificação no ritmo…
  • pular refeições e ingerir “medicamentos” para emagrecer mais rapidamente. A nova silhueta pode fazer sucesso, mas uma gastrite ou problemas renais serão uma incômoda companhia por muito tempo…
  • beber um uísque / vinho ou uma cerveja para ficar desinibido(a). O maior número de colegas na balada aumenta o prazer, mas o número de amigos para um alcoólatra doentio desaparece definitivamente…!

Resoluções como:

  • desistir de concluir um curso de inglês, por motivos fúteis. O curso pode parecer insignificante hoje, mas amanhã fará falta no currículo…
  • vender o voto para políticos corruptos por tanques de combustível. É um ganho momentâneo, mas que “libera” o candidato, se eleito, de atender às reais necessidades da comunidade que o elegeu…
  • casar-se por interesse, por status e estabilidade. Aparecer nas colunas sociais por causa do sobrenome pode significar sucesso hoje, mas um divórcio por falta de amor fará o coração sangrar…
  • deixar Deus para a velhice, para ter mais “liberdade” #iguallibertinagem. Não se submeter a um Ser Superior pode parecer prazeroso, mas o destino final será a morte eterna, caso não haja tempo para arrependimento…!

Portanto, hábitos e resoluções vivenciam-se simultaneamente, dieta e vida mesclam-se, evidenciando ao mundo quem somos ou queremos ser…  Diante disso,

🙂 decido seguir adiante com a minha dieta – obviamente, sempre com orientação profissional -;

🙂 decido aproveitar as oportunidades que a vida me conceder para crescer em conhecimento;

🙂 decido ser ainda mais grata aos que me dedicam suas amizades e tentar retribuir-lhes da forma que estiver ao meu alcance;

🙂 decido continuar a amar meu marido e filho, em palavras e ações, orando para que esse sentimento se renove todos os dias;

🙂 e, finalmente, decido continuar seguindo a Deus, buscando a vontade dEle, o perfeito amor, o perdão, a graça, a sabedoria e a fé que vêm dEle sempre, porque Ele é bom e porque somente esse “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Evangelho segundo João, capítulo três, versículo 16). O que você vai decidir hoje?

 

médicos e MÉDICOS

Se você pudesse me ouvir proferindo o título, com certeza perceberia um tom irônico diferenciando a leitura entre os substantivos…! Infelizmente, assim como em todas as profissões, existem médicos(as) não tão eficientes ou sem a bendita vocação para tal empreitada. Não quero generalizar nem atingir à classe toda! Mas, preciso registrar “os inesperados” que atingiram-me em pleno acompanhamento pré-natal, como um desabafo e também como alerta aos que confiam cegamente as suas vidas à qualquer um(a) que preste algum serviço na área da saúde.

Tudo começou logo após a descoberta da existência de um novo ser em mim. Além de ter aguardado cerca de quatro horas pelo atendimento da médica, ouvi um “Ah, hoje estou tão estressada!” e assisti a uma “profissional” enviando torpedos via celular, enquanto “dialogava” comigo: “Seu nome… Idade… Primeira gestação?… Vou pedir uns exames. Não esquece de fazer, tá?… Não esquece, viu?… Não esquece…” Saí com a sensação de que faltara algo, mas como tinha sido a primeira vez em pré-natal, não questionei.

Assim que outras mamães começaram a trocar as suas experiências comigo, fui me dando conta das lacunas, mas, pensando que o dia da médica fora ruim e por outra razão bem particular, decidi continuar sendo acompanhada por ela. Resumindo, cheguei ao quarto mês sem dados para o famoso Cartão de Acompanhamento Pré-Natal, além de ter uma solicitação de uma ultrassonografia específica fora do prazo, erro percebido, graças a Deus, por uma atendente do plano de saúde…!

Das quatro idas a esse consultório médico, em duas houve real atendimento… Antes mesmo da última consulta, já havia marcado com outro ginecologista obstetra, o qual inverteu a péssima impressão que havia tido da classe. Não tenho dele uma vírgula de desaprovação para apresentar. Além dele, a nutricionista também tem atendido às expectativas. E Deus a direcionou na solicitação de um exame o qual mudou a minha vida!!! Foi um hemograma que diagnosticou a causa de inflamações e dores com as quais tenho convivido há cerca de dois anos: INTOLERÂNCIA À LACTOSE!

Para informações adicionais sobre o assunto, indico o link: http://blog.simalimentos.com.br/?page_id=75.

Fiz inúmeros exames durante esse período e todos tiveram resultado negativo! Isso foi bom, obviamente, mas não podia iniciar nenhum tratamento. Agora, preciso seguir uma dieta bem rigorosa, cheia de proibições, mas ainda com muitas alternativas saudáveis e saborosas. Estou passando por um processo chamado detoxificação, substituindo vários itens da alimentação costumeira por outros que contenham os nutrientes necessários à continuação de uma gestação saudável.

O melhor disso tudo, e que me motiva, é saber que a qualidade de vida irá aumentar a cada novo dia…!!! Quanto aos médicos(as), o relacionamento passou a ser de mais questionamentos e pesquisas, com exceção para os conhecidos. Portanto, apesar de todos os pesares, só posso agradecer e confessar que estou mais feliz do que nunca com o desenrolar de cada segundo da realidade que o Pai me permite vivenciar…

 Samuel segue perfeito!  E, conforme o papai Guga, estava regendo nesta ultrassonografia!  Amamos você, filho!!! 

Xô, negatividade!

A ideia para o título foi do irmão e médico Dr.Hélio, diante das previsões negativas feitas por outras mães para as gestantes de primeira viagem…! Não vou nem reproduzir tudo o que ouvi, pois não vale a pena… Acho que o ser humano enxerga as dificuldades antes das vantagens em qualquer processo. Daí ser tão mais dizível o lado contraproducente das coisas…

Essa atitude condiz com a ótica que temos do copo de água meio cheio ou meio vazio… Acredito que uma mãe que não curte sua gestação, pelos novos sintomas físicos ou pelos emocionais alterados, com os quais deve aprender a conviver durante os nove meses, tem, em sua história, as justificativas para tal postura. Pode, ainda, ser uma gravidez não planejada… Quem sabe?

Mesmo tendo escrito sobre os primeiros sintomas, incluindo os que não são tão agradáveis, considero todos suportáveis, por isso nem merecem tanto destaque. Obviamente, existem as exceções, quando gestantes devem ficar em repouso por riscos que correm. Então, devemos, sim, prestar atenção aos sintomas, mas não torná-los o centro do momento vivido.

O novo ser em formação é a estrela deste espetáculo da vida e, se nos focarmos nele, todo o restante fica tão pequeno…! Compartilhei algumas dicas preciosas, as quais auxiliam muitíssimo na redução dos sintomas físicos. Eu mesma quase me transformo em coelha! 😉 E quanto mais sigo essas dicas e alimento-me adequadamente, menos incômodos…

Para as emoções, o Amor é a resposta, a solução, o caminho… Há tantas mulheres com tão baixa autoestima e que, nesse período tão especial, não contam com o apoio carinhoso dos esposos, os quais não admiram a beleza de uma gravidez,  e isso aumenta a insegurança delas… A essas me dirijo, apontando-lhes a melhor saída: a busca do Perfeito Amor!

Mais que qualquer homem, sejam os pais ou os maridos, há Alguém que nos completa e supre nossas carências; há Alguém que é uma fonte inesgotável de sabedoria e graça; há Alguém que prometeu nos ensinar tudo o que precisamos aprender, bastando pedir; há alguém que nos ama demais e tem poder para equilibrar nossa autoavaliação…

E, sentindo-nos tão amadas, passamos a amar com mais facilidade também, primeiramente a nós mesmas, depois a todos com os quais convivemos; passamos a ver o lado positivo da vida, relevando o que é passageiro, para evidenciar o que tem valor eterno; enfim, ao abrirmos nossos corações para Ele, encontramos o nosso verdadeiro melhor amigo: Deus…

Então, não se preocupe, mamãe de primeira viagem… Deus nos ama, como diz a canção… Deus nos ama tanto, ao ponto de ultrapassar esse amor que sentimos pelos nossos filhos, como afirmado em Isaías, capítulo 49, versículo 15: “Será que uma mãe pode esquecer do seu bebê que ainda mama e não ter compaixão do filho que gerou? Embora ela possa se esquecer, eu não me esquecerei de você!”

Dicas preciosas

“Só via a minha tia chegando com a cenoura…” – disse-me a amiga Andreine, quando comentei sobre a azia que começou a incomodar logo no início da gestação. Você pode estar se indagando, assim como eu: cenoura? Sim! Experimentei e dá super certo! A cada nova visita da azia, uma cenoura… e o mal-estar passa quase imediatamente! Pesquisando, encontrei que pode-se consumi-la também na forma de suco; e, em caso de gastrite, um suco de couve folha vai bem…

Para as náuseas, a irmã Ana indicou frutas cítricas, como o limão, a laranja e a tangerina e sugeriu ainda cheirar a casca. A queridíssima Silvinha lembrou que a banana só pode ser consumida como lanche, entre as refeições. É recomendado, também, não misturar o leite e seus derivados ao almoço e/ou jantar, pois o cálcio impede que o organismo absorva o ferro presente no feijão ou nas hortaliças. Consequentemente, nada de sobremesas lácteas! Para auxiliar na absorção do ferro, sucos cítricos.

A mamãe do Arthur, Neuma, explicou a diferença entre os carboidratos simples (biscoito, bolacha, bolo…) e os complexos (macaxeira, batata doce, inhame…), os quais são digeridos em velocidades distintas, a saber, os simples rapidamente e os complexos vagarosamente. A diferença aparente está em que os primeiros ajudam no “processo de engorda”… E, naturalmente, ganhamos quilogramas a mais durante a gestação, não é? Então, vamos de complexos!!!

As alterações hormonais, frequentes durante estes nove meses, e a imunidade mais baixa podem causar a sinusite. Mas não se preocupe, a solução foi me apresentada pela nutricionista Maria Gisleide e confirmo aqui a eficácia dela! É simples, apesar de ter uma sequela para o hálito da mamãe… 😉 Ficou curiosa? Basta acrescentar cebola crua – preferencialmente a roxa, pois provoca menos gazes – às saladas, no almoço e jantar! A bendita é um anti-inflamatório natural. Benção, não é?

Até o momento, é isso! Não pretendo esgotar essas informações e aconselho consulta a um(a) nutricionista, pois uma dieta só é válida se individualizada. Assim, de dica em dica, a gente vai aprendendo tanta coisa preciosa!!! E a mulherada é muito boa nisso!!! Aliás, amamos trocar receitas que dão certo, não é? E percebi que, com grávidas, a generosidade das outras mães transborda… Sou grata por estar cercada por tanta bondade e carinho! Até já sou tratada por “mainha” –   regionalismo nordestino para mãezinha! ♥

Ah… e para o sono, o único remédio é dormir… Uaaaaaaahhhhh…