Arquivo da categoria: Sobre mim ;-)

“Uma VAQUINHA pra mim, outra pra tu, uma pra mim, outra pra mim…”

VaquinhaVAQUINHA… Vaquinha? É, exatamente nisso que estou pensando há dias… Vaquinha, coleta, recolhimento de dinheiro para um propósito comum… E, quase automaticamente, lembrei do refrão emprestado como título para este post, da música do compositor, cantor e sanfoneiro Luiz Gonzaga. Obviamente, o contexto aqui difere do da canção.

Então, êi-lo: os companheiros petistas conseguiram arrecadar valores excedentes aos das multas dos condenados pelo mensalão, simplesmente, através da bendita vaquinha! Os coitados não tinham condições de arcar com a condenação pelos crimes de corrupção cometidos contra o povo brasileiro! Então, parte desse povo – pensando na possível volta dos injustiçados ao poder, pois o resto do povo não tem memória – resolveu se unir para diminuir tamanho sofrimento!

Nossa, quanto altruísmo, não é? E quem cantou com Luiz foram os donos do circo, deste grande circo que faz palhaçadas políticas e segue impune, enquanto a arquibancada tenta entender, acordar, reagir, mas não consegue, definitivamente…

Aí, surgiu uma ideia: vou fazer uma vaquinha em benefício da leitura e da educação. Como assim? Explico: quando se pensa em adquirir conhecimento para, posteriormente, dividi-lo, por exemplo, sendo escritor ou professor, acredito que a causa é válida…

Então, faz cerca de dez anos que não pude, por razões diversas, fazer curso algum. E, gostaria muito de voltar a estudar…! Mas, como moro longe da família, abri mão de continuar trabalhando para cuidar do Samukinha integralmente… Isso significa que ainda não tenho como investir nessa aquisição,  cujos custos totais seriam em torno de:

Para encerrar, esse post é irônico e a tentativa da vaquinha trata-se de uma brincadeira, com fundo de verdade, como se diz… 😉 Talvez, eu deva afiliar-me ao PT! O que me dizem?

Quando os justos florescem, o povo se alegra; quando os ímpios governam, o povo geme. Provérbios 29:2

Anúncios

“Come, come, come… pra mamãe ficar feliz!”

Admiro o Guga se alimentando… Não sei quando comecei, mas acho que simultaneamente aos primeiros passos na cozinha, depois que nos casamos… Ainda bem que o maridão foi uma cobaia incentivadora e comia tudo, sem reclamar! Quantos pratos desastrados: carnes torradas, sal demais ou de menos, sobremesas mui doces ou com a consistência horrorosa…!

Um momento marcante foi a comemoração do meu primeiro aniversário após o casório – lembra, Edlane? Inventei de preparar um salgado americano e um pavê de abacaxi, os quais nunca havia feito! Resultado: as fatias do pão ficaram ensopadas e se diluíram, bem como os biscoitos champanhe por causa do ácido do abacaxi que eu esqueci de cozinhar…!!!

Apesar dos pesares, gosto de cozinhar e, arrisco dizer que consigo agradar aos “fregueses”!!! 😉 Atualmente, estou reaprendendo, por causa das intolerâncias ao glúten e à lactose. Bem, só sei que gosto de ver alguém “bom de garfo”! Eu mesma ando a comer mais que o Guga, por causa da amamentação… #aindabemqueeletambémcurte

Obviamente, essa admiração agora se estende ao meu filho, o Samukinha… Foi a melhor sensação do mundo observá-lo comendo as primeiras papinhas!!! Saber que eu as havia preparado com todos os cuidados exigidos para a idadezinha dele e que elas ajudariam no seu desenvolvimento físico, por conterem nutrientes diversos, encheu-me de uma alegria sem tamanho…! Vê-lo progredindo na mastigação, que concluí ser inata ao ser humano, me deixou maravilhada!

Ainda tenho o privilégio de amamentá-lo…! Apesar de todo cansaço, falta de tempo pra tudo (= prioridades modificadas), casa encardida e desorganizada, é sensacional tê-lo aconchegado em meus braços, olhos nos olhos em alguns instantes, trocando amor, um amor tão puro e inocente, enquanto ele mama, enquanto ele se alimenta sugando o leite materno – um verdadeiro milagre inventado pelo Criador! Sou grata a Ele e ao paizão do Sam pela oportunidade de viver a maternidade plenamente e nas vinte e quatro horas do dia!

Se sinto falta, vontade ou saudades de vivenciar e realizar o meu lado profissional? Se há dias nos quais me frustro com toda a desordem nas tarefas domésticas? Se gostaria de postar mais textos? Sim, claro… Mas, simultaneamente, vem o sentimento do dever cumprido ao ter papinhas prontas e congeladas para ter sempre algo disponível ao serzinho ainda tão dependente, que só deixa de comer por causa dos dentinhos que vão aparecendo… Sem isso, como o papai o chama, o “cabrinha” deixa, sim, a mamãe muito, mas muito feliz…!

 

UNO x VIDA

Só quem já jogou UNO sabe como é divertido fazê-lo, mesmo exigindo-se memorização e muita concentração, devido à variação das regras praticamente a cada cartada! Como em qualquer jogo, a sensação da vitória é o máximo!! Garanto que é mais fácil do que o xadrez, porque apenas administram-se as jogadas, enquanto o tabuleiro pede a criação delas.

Para quem quiser aprender, vale a pena clicar no link: Como jogar uno, e garantir muitas risadas…

Pensando nesta opção de lazer, imaginei a vida retratada nela. Comparando-se, inicialmente, não é possível jogar UNO sozinho e só também não se sobrevive…! É como Guga sempre me diz: “Não sei como tu viveste sem mim!!!” #modestohein! E eu respondo, dando “a maior corda”: “É mesmo, não sei como…!” 😛 Brincadeira à parte, acredito nessa necessidade do(s) outro(s) como humanos que somos.  Então, ♪ ♫ ♬ “eu preciso de ti, querido irmão” ♩ ♫ ♬… E o sentimento da utilidade recíproca é tão bom!!!

Continuando, cada jogador recebe o mesmo número de cartas e, quando nascemos,  todos recebemos a vida, a vontade e o livre arbítrio do Senhor Criador, independentemente da classe social, significando que há oportunidades para qualquer um que queira. Marginalizados são produtos que a própria humanidade elaborou, daí, infelizmente as desigualdades sociais existentes. 😦 Afinal, todos são/foram bebezinhos ingênuos e indefesos… Por isso é correto adotar a postura ensinada pelo Mestre dos mestres: “Não julgueis…” (Evangelho segundo Mateus, capítulo 7, versículo 1a).

Tirando-se as cartas numeradas – de zero a nove – ficam as especiais com variados efeitos. Se o participante anterior nos presentear com a carta +2, pode representar aquelas duas últimas semanas do mês, passadas a cuscuz e ovos, com apetite por biscoitos para os quais não se tem um centavo… Um dia, então, Deus envia os favoritos – PASSATEMPO, da marca Nestlé -, ao local onde se trabalha, através do garoto enjoado do lanche repetitivo… 😛

Caso sejamos “brindados” com a carta inversão, o jeito é esperar uma rodada, identificando-se aí o não passar no vestibular na primeira tentativa e frustrar-se por isso, mas, no ano seguinte, ser o primeiro colocado geral da Instituição escolhida! Realizando-se a possibilidade da carta bloqueio, consegue-se vislumbrar aquele currículo enviado para uma vaga da área editorial, cuja resposta esperançosa é um teste, com prazo para efetuação, no qual não se é aprovado(a)… 😦

Já a “poderosa” carta +4, nunca bem-vinda, simbolizaria a expectativa por continuar os estudos, por trabalhar na área da formação, por adoecer sem conseguir um diagnóstico e por morar longe da família, até que surja uma gravidez que ajude na identificação da causa da falta de saúde e um(a) filho(a) que, sem dúvida, é incomparavelmente superior a qualquer projeto e que ameniza a falta dos parentes…  ♥

O curinga chega entre sorrisos, como quando os momentos difíceis passam, quando os sonhos se realizam, quando Deus nos surpreende com Sua Vontade infinitamente mais sábia, realizadora e excelente do que a nossa…! E, para quem não vencer o jogo na primeira vez, não deve desistir e nem desanimar, pois ele é imprevisível, assim como acordar para um novo dia, cheio de ocasiões favoráveis e promessas!!! Ademais, jogar somente pelo lazer proporcionado também é válido e benéfico, assim como viver um hoje de tentativas para somente amanhã ou depois ter êxito! Então, vamos jogar/viver pacientemente?

Testemunhando – parte 1

“Assim diz o Senhor, aquele que o fez, que o formou no ventre, e que o ajudará: Não tenha medo, ó meu servo, a quem escolhi. Pois derramarei água na terra sedenta, e torrentes na terra seca; derramarei meu Espírito sobre sua prole, e minha bênção sobre seus descendentes. Não tremam, nem tenham medo. Não anunciei isto e não o predisse muito tempo atrás? Vocês são minhas testemunhas. Há outro Deus além de mim? Não, não existe nenhuma outra Rocha; não conheço nenhuma.

(Livro do profeta Isaías, capítulo 44, versículos 2, 3, 8)

Diante da divina e suprema grandeza do Deus do Universo, só posso me curvar em reverência e adoração… Diante do controle absoluto, justo e verdadeiro que Ele tem, só posso ser grata e mais dependente ainda… Diante do poder que opera milagres todos os dias, só posso testemunhar…

Como gestante de primeira viagem, tenho sentido todas as surpresas do milagre da vida que acontece em minhas entranhas… Como futura mamãe, descanso no cuidado e direção divinos, com as melhores expectativas possíveis, pois Ele é fiel… Como filha dEle, vou testemunhar a cada oportunidade ou sempre que quiserem ouvir / ler…

Não poderia jamais ser ingrata e deixar de registrar, aqui, tudo o que tem acontecido comigo / conosco durante este período tão especial de espera pela chegada do Samuel. Tudo confirma mais e mais o quanto Deus é bom! Tudo testemunha Sua misericórdia e graça para com o ser humano, imerecedor de qualquer mercê…

Como qualquer ser racional, eu planejava viver a gravidez de forma organizada e segundo o que se considera indispensável até se completar os sete meses. Explicando, eu almejava ter tudo o que Samuel precisará quando chegar ao mundo no seu devido lugar, para, então, apenas “curtir” os últimos dois meses… Enfim, resumindo, eu queria poder gerir e deixar cada detalhe pronto!

Mas, o Papai do Céu queria ensinar-me mais umas lições… E aí, a rapidez da concepção e a descoberta da existência de uma nova vida em mim, pegaram-me de surpresa! Estava vivendo um momento inicial da realização de um projeto individual, do qual tive que abrir mão, por causa de alguns dos primeiros sintomas… Com isso, aprendi que o tempo certo e o controle são do Senhor. Se for da Sua Vontade, terei sucesso nesse projeto e pronto!

Além disso, havia rejeitado oportunidades ótimas de emprego, pelas razões descritas em médicos e MÉDICOS, motivo para perguntar-me se teríamos condições de adquirir tudo o que Samuel precisaria a partir dos dividendos do papai Guga, como músico profissional… Só quem vive da Arte em nosso país, vai entender-me perfeitamente… Na verdade, essa foi a minha primeira “pré-ocupação” deste período. Então… começou a acontecer…

Inicialmente, a querida amiga, irmã e prima Silvinha indagou-me se já tínhamos o berço do bebê e se nos importávamos de receber um anteriormente usado pela filhinha Eyshila. Depois, a amiga, irmã e vizinha da época do Seminário, a Viviane, ofereceu-me o carrinho que fora usado pelo seu filhinho David – aliás, a criança mais inteligente que conheço!!! Dias após, na “despedida” informal do Pastor João Marcos e sua esposa Marluce, lá no Restaurante do irmão Nino, ganhamos a banheira, com suporte e trocador, a qual fora de Sofia, a caçula deles… Por último, a irmã, amiga e conterrânea Mirian, doou o “antigo” guarda-roupa da filhinha Manu…

E, tudo está como novo e é lindo de morrer!!! Deus é tão bom que, sem gastarmos um tostão, permitiu-nos termos o quarto do Samuka todo mobiliado e com tudo combinando perfeitamente!!! Como não dizer que o sobrenatural nos rodeia todos os dias? Até por meio de sonhos fomos ajudados! Um amigo e irmão, o Wildes, acordou sabendo que precisava ajudar alguém, e ao compartilhar com um amigo, este respondeu que entendia ser Guga o alvo da ação… Outra amiga e aluna do professor de violão Guga, a Gilmara, nos presenteou com as bolsas do bebê e também emprestará a cadeira de amamentação, a qual continuará sendo repassada para outras mamães que precisarem dela…

“Falando” em amamentação, um desejo era ter a almofada específica, mas ela havia ficado fora do nosso orçamento, diante de tantas outras prioridades no preparo do enxoval do filhão… Logo, chega-me às mãos, a bendita, costurada pela valorosa e caprichosa irmã, amiga e mãe dos gêmeos Alana e Natan, a Iraildes. Uma particularidade: com o cuidado de estampar uma clave musical, para combinar com o kit berço, presentão esse que veio diretamente de SC, perfeitamente preparado pela amiga Taciana… A Oma Renate, juntamente com amigas do Grupo de Artesanato da Igreja que elas frequentam, enviaram fraldas, lençóis, toalha com capuz e outras roupinhas. E os milagres não pararam…

Dos primos, amigos e irmãos Késia e Tércio, juntamente com o pessoal do grupo Christus, para quem o papai Guga fez arranjos musicais, vieram vários itens, tais como: pagão, mijão, mamadeiras, escova de cabelo, sapatos, bonés, macacões, meias, luvas etc…  A prima e amicíssima Cris, também em fase gestacional da primogênita Melissa, veio do RJ, especificamente para entregar-me alguns mimos, como um boné personalizado, bordado por ela mesma e um lindo tênis para o Sam, além de ter trazido bodies, mantas e outras peças, generosamente doadas pela prima tão querida, a Maricéia, as quais foram do pequeno Kauã…

Dos amigos e irmãos da Comunidade Batista da Graça, a mais linda festa surpresa para o chá de fraldas (fotos abaixo), que rendeu um total de quase mil e quinhentas unidades, além das diversas roupinhas, um tênis e fraldas de tecido, das amigas e irmãs Ana e Adlai!!! Não poderia deixar de citar, ainda, a Neuma, que teve o cuidado de dar ao Samuka as primeiras toalha fralda, meias e camisetinha… E, para incentivá-lo a seguir os passos do pai, o violão Takamine recebido do “sogrão” Alex… 😀

Alguém ainda pode descrer do agir divino diante de tudo isso? Deus é bom sempre e sua fidelidade constante! E agradeço a você, que disponibilizou seu tempo para ler esse post, pedindo-lhe que aguarde a continuação em Testemunhando – parte 2…

Chá de fraldas do Samuel

By yourself

Você já pegou uma onda? Se não, assim como eu, só pode ficar imaginado a sensação de entrar no coração de uma gigantesca… Mas, acredito que fantástico e eletrizante são duas palavras que podem definir essa vivência.

Você já nadou em alto-mar? Saber que o agito do quebrar das ondas ficou pra trás, dá tranquilidade para boiar ou flutuar, sem medo… Posso falar, pois amigos já me presentearam com um passeio de jangada em uma das praias do litoral pernambucano, com direito à parada na parte mais profunda.

Você já saltou de paraquedas? A adrenalina deve ir a mil, além de se ter uma visão privilegiada do globo terrestre e uma ideia de como é bom ser um pássaro a planar, livremente no ar… Mesmo vendo positividade nessa prática, atualmente sou medrosa demais para tentar…

Você já lançou-se de bungee jump? É um pulo no vazio, com aventureiros corajosos  presos apenas pelos tornozelos! Acho esse esporte um dos mais radicais e desafiadores. Lembro-me que, quando desci a Big Tower do Beto Carrero World, numa queda livre de cem metros de altura, não vi a paisagem com nitidez, gritei de susto e prazer, e a impressão foi de o estômago ter parado na goela! Penso que um salto desses, então, durante o qual nem se consegue controlar direito a postura e fica-se de cabeça para baixo, as reações devem ser antagônicas, os pensamentos devem paralisar ou acelerar e o coração precisa ser bem saudável para aguentar… 😀

Você já correu em um rali? Idealizar um carro correndo em estradas montanhosas ou trechos de floresta, quando são testados o veículo e seu motorista, é estranho para quem não curte muito uma aventura. É provável que o corpo fique dolorido com os balanços e os chacoalhos provocados pela irregularidade da pista. Mas, o desafio é chegar ao final do trajeto proposto, mesmo quando não há competição, pois atingir um alvo é o que motiva o ser humano, desde sempre… E quando há premiação, presencia-se alegria e comemoração, através de abraços, pulos, do erguer dos braços, de palmas, de gritos… Emoções são expressadas e isso gera mais saúde!

Você já escalou montanhas? O extremos cansaço é esquecido por causa da superação e pelas possibilidades: balançar-se em cipós de árvores nas alturas; encontrar cascatas e rios com as águas mais cristalinas já vistas, cuja transparência permite espiar-se o colorido da areia dos seus leitos; vislumbrar as nuvens e a lua mais próximas, bem como a cidade em miniatura abaixo dos pés… Subi o Monte Crista [imagem abaixo], localizado em Garuva, SC, com amigos e parentes – em 1994, ano em que o Brasil foi Tetracampeão na Copa do Mundo de Futebol. [Lembro perfeitamente disso, pois o cansaço da atividade física resultou em um sono tão profundo, o qual nem mesmo os fogos de artifício da comemoração da vitória perturbaram…] 😛

Última e mais importante pergunta: você já conheceu a Deus “by yourself”? Você tem respaldo para falar sobre Ele? Pode crer: da mesma forma que foi mais fácil escrever sobre o que já fiz, também é bem melhor e mais razoável ter uma experiência pessoal com Ele, ao invés de ficar imaginando ou baseando-se em ideias alheias… Então, que tal aproximar-se dEle hoje? Qualquer atividade citada, para ser concretizada, exige decisão; parada para receber instruções; escolha de local, data e hora. Conhecer a Deus também exige decisão – diga “sim” a Ele; parada para receber instruções – medite na Bíblia; escolha de local, data e hora – independente do lugar, hoje e para sempre, vinte e quatro horas por dia, mantenha-se conectado a Ele. Nenhum esporte, por mais radical que seja, alcança esse nível de prazer…

Eis um lindo versículo, o qual retrata o que Jó sentiu após ter-se relacionado diretamente com o Senhor… “Com os ouvidos eu ouvira falar de ti; mas agora te vêem os meus olhos.” (Jó 42:5)

Infinitude humana: é possível?

Desde que o mundo é mundo, o ser humano luta contra sua finitude. Atualmente, há uma diversidade de cremes, complementos, dietas, exercícios, intervenções cirúrgicas e seguros de partes do corpo, os quais funcionam como medidas para disfarçar a idade e iludir quanto a ser mais durável. Não estou, com isso, condenando quem almeja manter a juventude; desejo, eu mesma, viver muitos anos, se Deus quiser! Apoio plenamente o viver com qualidade e o aproveitar para aprender tudo o que se puder enquanto se respira, encarando a existência como uma escola, com direito a testes e provas, bem como, a diversos professores: os legais e os chatos, inclusive. 😛

Penso, apenas, que deve haver equilíbrio nessa busca, priorizando-se a essência do ser, que é a verdadeira herança que se pode deixar após a morte. As características de cada pessoa é que se conservam; por exemplo, a meiguice, a generosidade, a persistência, a honestidade etc. Mesmo que, durante o velório, todos se “tornem bons”, o que permanece mesmo é o modo de ser, principalmente, com familiares e amigos íntimos. Os parentes e mais chegados de Chico Anysio e de Millôr Fernandes que o digam; muito além dos seus legados como humoristas, doaram-se como maridos, pais, tios, avôs, vizinhos…

Vendo, hoje, algumas das charges do Millôr, como a imagem criativa acima, pensei: também quero deixar alguma obra como prova de que passei por este mundo… Reconheço a inteligência e as ideias originais e infindáveis dele, em suas diversas criações. Acompanhei, por um tempo, sua coluna em uma revista de circulação nacional e sorria, às vezes, até às gargalhadas, ao ler suas famosas crônicas. Quanto ao Chico Anysio, como cresci sem televisão em casa, não pude curtir seu trabalho, mas sei da importância que teve, ao denunciar vários problemas sociais através dos muitos personagens que representou. 😮

A sabedoria popular diz que todo homem deve plantar uma árvore, escrever um livro e ter um filho! Dessa lista, só cumpri o primeiro item, e em conjunto com a turma da quinta ou sexta série do Ensino Fundamental: plantamos uma arvorezinha no pátio do Colégio Estadual “Olavo Bilac” – Joinville, SC – e a chamamos de “Frau”. E a coitada foi tão mal cuidada, que não sobreviveu a um ano letivo! 😦 Então, falta-me cumprir tudo o que se considera importante para se perpetuar!!! Diante dessa constatação, preciso trabalhar, e muito!!! Mas, sempre me recordando da verdade eterna, expressa na Palavra de Deus, a qual me ensina que somente…

“… os planos do Senhor permanecem para sempre, (…), por todas as gerações” (Salmo 33:11); e que “será inútil levantar cedo e dormir tarde, trabalhando arduamente (…). O Senhor concede o sono àqueles a quem ama. Os filhos são herança do Senhor, uma recompensa que ele dá” (Salmo 127:2,3); valendo, realmente, “temer a Deus e guardar os seus mandamentos, pois isso é o essencial para o homem, pois Deus trará a julgamento tudo o que foi feito, inclusive tudo o que está escondido, seja bom, seja mal.” (Eclesiastes 12:13,14) Logo, “toda a humanidade é como a relva, e toda a sua glória, como a flor da relva; a relva murcha e cai a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre.” (1 Pedro 1:24-25)

Quem sou, verdadeiramente?

É difícil expor-se e dizer aos “quatro ventos” quem se é verdadeiramente, sem máscara nenhuma… Desde que nascemos, vamos sendo corrigidos se nos mostramos “transparentes” demais à sociedade, pois isso é vergonhoso. Por exemplo, uma criança com temperamento dominantemente sanguíneo, naturalmente mais efusiva e extrovertida, pode ser “tachada” de exibida e ser repreendida por isso, aprendendo, então, a guardar sua reações mais espontâneas… Como essas repreensões podem se repetir, tanto no ambiente familiar, como na escola ou em qualquer outro lugar, adota-se uma “face” para cada ocasião, em adequação aos propósitos de cada vivência. Quando se chega à faculdade, frequentemente, já se domina essa atuação…

Acredito que a maioria da humanidade é assim… E não posso fugir à regra! Lamentavelmente, já agi assim, já abriguei em meu coração sentimentos que jamais imaginei ter em mim, já passaram por minha mente pensamentos que me envergonham… Às vezes, confusa, não queria mais usar qualquer máscara e acabava ferindo e até escandalizando alguém; em outras, preferia a indiferença, pois, pelo menos, não me sentiria tão falsa quanto os produtos piratas… Ora julguei pessoas, ora falei bem ou mal, ora não entendi atitudes tomadas, ora me senti injustiçada por outros… Quantas vezes, incontáveis, vivi exatamente o que Paulo escreveu:

“Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e, com efeito, o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; Mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros.  Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?” (Romanos 7:18-24)

Graças ao bom Deus, tem-se, a cada nova manhã, a oportunidade de se abrir para novos aprendizados, para o demonstrar do “eu”, com responsabilidade, pensando no “nós” ao invés de somente nos próprios interesses. Graças ao bom Deus, tem-se a cada nova manhã, a oportunidade de se escolher o que é certo, o que é justo, o semear de coisas sempre melhores, o compreender que até as pessoas ou situações consideradas ruins fazem parte desse aprendizado diário… Em outras palavras, Deus permite que passemos por tudo isso, para reconhecermos cada vez mais a nossa própria condição de depravação desde o nascimento: somos todos pecadores totalmente imperfeitos…! Deus permite tudo isso para que reconheçamos nossas limitações e fraquezas e a dependência total dEle…!

Deus permite tudo isso para mostrar o Seu Poder, a Sua Graça, a Sua Justiça, o Seu Perdão… Deus permite tudo isso para nos renovar, fazer vaso novo (Jeremias 18:4), enfim, para transformar nosso coração de pedra em um de carne, como Ele mesmo disse ao profeta Ezequiel: “Retirarei deles o coração de pedra e lhes darei um coração de carne.” (Capítulo 11, Versículo 19 b) Deus permite tudo isso para nos fazer saber que precisamos da Sua Sabedoria, pois nosso limitado “background” é mero esterco, conforme Filipenses 3:7-9: “Mas o que para mim era lucro, passei a considerar perda, por causa de Cristo. Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por cuja causa perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar a Cristo e ser encontrado nele, não tendo a minha própria justiça que procede da lei, mas a que vem mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus e se baseia na fé.”

Deus permite tudo isso para que lembremos que é a Sua Misericórdia que nos mantém vivos e que nos permite conhecer o Seu Plano perfeito para a Salvação e a Vida Eterna… Deus permite tudo isso para que O busquemos mais e mais, através da meditação em Sua Palavra e da oração… Oração de gratidão, oração de adoração, oração de rendição total, oração de confissão dos erros cometidos, oração desejando a transformação diária, oração pelos nossos e oração pelos que nos “maltratam”, mas que, na verdade, contribuem, inconscientemente, para esse processo de aperfeiçoamento em nossas vidas e nas deles, também… Oração para que meus olhos estejam abertos para ver a direção divina, e meus ouvidos prontos a ouvir a orientação divina…

Só Ele me conhece perfeitamente e sabe das minhas fraquezas e mesmo assim, me ama incondicionalmente… Então, só posso orar para que Ele me ensine a amar assim, que Ele me lembre sempre que, da mesma forma que Ele me concede cada novo dia para me arrepender e “esconder a Sua Palavra em meu coração para não pecar contra Ele” (Salmo 119:11), Ele dá a mesma chance a todos meus irmãos e irmãs… Que Ele me lembre sempre de que, assim como vou sendo curada e tenho a chance de me relacionar melhor com todos, todos também têm a possibilidade dessa experiência. Por isso, preciso compreendê-los e interceder pela vida de todos, pois o nosso alvo é o mesmo: a eternidade em Cristo…

Concluindo, é isso que sou, verdadeiramente, pela Graça Divina: um “caco entre outros cacos de barro” (Isaías 45:9), sou “pó” (Salmo 103:14), uma pecadora arrependida, em constante aprendizado, e justificada pela fé em Cristo Jesus… “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.” (Romanos 3:23-24) E encerro, com uma linda promessa bíblica, a qual nos encoraja: “O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.” (II Pedro 3:9)

Basta!

“Ainda que eu não conheça o caminho, Tu conheces bem. Isso aquieta e pacifica a alma. Afinal, é vão que ansiosamente me esforce e que meu coração palpite assustado toda hora. Tu conheces o caminho para mim, Tu sabes o tempo, Teu plano já está pronto e disponível. Louvo-Te pelo poder do Teu amor e exalto a graça que me restaurou. Tu sabes de onde o vento sopra com tanto furor e o dominas, nunca chegas atrasado. Por isso espero tranquila, porque a Tua palavra é livre de engano: Tu conheces o caminho para mim e isso BASTA!”
(Poetisa alemã Hedwig Von Reern)
Confiar plenamente, ter fé, esperança: isso é que nos permite a calma, o viver apenas o hoje, o aproveitar o presente, as oportunidades que vão surgindo, decidindo-nos com coragem, sem ansiedade e preocupação… O aspirar do cheiro em cada milésimo de segundo respirado, a visão da imagem em cada segundo assistida, o saborear do paladar em cada minuto digerido, a audição do som em cada hora ouvido, enfim, a sensação fluida do ser em cada dia vivido, são dádivas… E isso vem de Deus, que conhece o nosso caminho, o que nos BASTA!
Tenho aprendido essa lição constantemente e através de acontecimentos simples, mas sensacionais… Recentemente, fui desafiada a pular e mergulhar em uma piscina. Como não mergulhava há anos, o medo ficou rondando-me e cheguei a desistir de pular. Então, o meu Pastor Alécio Lisbôa, da Primeira Igreja Batista em Caruaru – PE, indagou-me sobre a razão da falta de coragem e desafiou-me novamente. Pensei por uns segundos e descobri que o medo maior vinha da falta de prática do segurar a respiração. Então, tentei umas três vezes, em pé, dentro da piscina. Quando percebi a facilidade, obviamente decidi pular e mergulhei algumas vezes seguidas, comemorando a sensação de vitória e superação…!!! No último sábado, vivi a mesma sensação ao aproveitar a disponibilidade de um pula-pula, pela primeira vez em meus 35 anos!!! E assim deve ser a vida: acreditando-se que Deus conhece o nosso caminho, o que nos BASTA!
A tomada de decisões, das mais simples às mais complexas, acontece diariamente. Às vezes, algumas nos paralisam, pois causam dúvidas ao se pesar os prós e os contras; outras nos tornam mais reflexivos, pois envolvem terceiros, pessoas que amamos; há também aquelas cuja escolha ou opção são dirigidas pelo bom senso; e ainda as que inconscientemente resolvemos, pela prática ou experiências anteriores… Das mais difíceis às mais fáceis, devemos sempre nos recordar que Deus conhece o nosso caminho, o que nos BASTA!
Ele, como amoroso Pai que é, nos diz sempre: “Instruir-te-ei, e ensinar-te-ei o caminho que deves seguir; guiar-te-ei com os meus olhos.” (Salmos 32:8) “E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda.” (Isaías 30:21) Então, “não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.” (Filipenses 4:6,7) Porque Ele conhece o nosso caminho, o que nos BASTA!

Faça a sua lista

Estou lendo o livro “Um mês para viver” – presente do maridão -, de Kerry & Chris Shook, cuja abordagem gira em torno de se viver a vida que Deus planejou para vivermos, sem arrependimentos, mas, obviamente, com responsabilidade. O objetivo é tornar o corriqueiro magnífico, lembrando sempre que somos criados com propósitos e o tempo que temos na terra é limitado. A cada capítulo os autores lançam, pelo menos, três questões para maior compreensão sobre o que acabou de ser lido.

Uma das que respondi hoje, pedia que listasse vários itens, recursos, dons e oportunidades com os quais Deus me presenteou e os reescrevo aqui, agradecendo ao meu Criador por tudo… (Sugeriam que pensasse sobre como acreditava que Deus queria que investisse cada item, mas essa lição ainda ficará no âmbito particular. Quando o aprendizado estiver completo, se Deus permitir, compartilharei, como testemunho do poder divino em transformar-nos…!) Eis a minha lista:

  • Vida;
  • Salvação;
  • Eternidade;
  • Milagres;
  • Saúde;
  • Pais, irmãos, sobrinhos;
  • Um lar – marido;
  • Amizades antigas e novas;
  • Formação acadêmica;
  • Experiências profissionais;
  • Liberdade religiosa no Brasil;
  • Cantar no Côro da PIB Caruaru;
  • Ensinar e aprender com os teens na EBD da PIB Caruaru;
  • Ler e compreender;
  • Assistir a bons filmes;
  • Ouvir música de qualidade;
  • Cozinhar e degustar pratos diversos;
  • Comer chocolate;
  • Beber água mineral;
  • Sentir o sol e o vento;
  • Sorrir e chorar;
  • Amadurecer;
  • Escrever neste blog…

Enfim, essa lista é imensa e lembra da grande bondade do Pai para comigo… Faz com que seja mais grata e me renda, reconhecendo que dependo da Sua força e sabedoria enquanto espero nEle, pois “É poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos…” (Efésios 3:20) e disse: “Não te deixarei, nem te desampararei.” (Hebreus 13:5) Que tal fazer a sua lista também?

Para cantar: Thank You, Lord; com Don Moen.

Inconformismo…!

Segundo o “pai dos ignorantes”, o inconformado é aquele que não costuma resignar-se, desistir, abdicar, renunciar, sujeitar-se…

E isso tudo está em mim!!! Até há pouco menos de um ano atrás, eu me sentia infeliz, às vezes, por abrigar tanto inconformismo! 😦 Por exemplo, quando achava que precisava de tapetes novos, ficava até mal humorada se os não podia ter! Acho que sentia um misto de ira com autopiedade… Que patético esse quadro! 😉 Lembrando agora, agradeço ao Mestre dos mestres, que, através do Consolador enviado, me ensinou a orar pedindo um direcionamento a esse inconformismo… E como tudo mudou, desde então! Mas, confesso que essa é uma oração que tenho que repetir…

Essa imperfeição toda que sou quer muito para si mesma, é orgulhosa, vaidosa e não quer que seus defeitos sejam vistos e conhecidos; não quer ser exposta às avaliações dos outros e nem ser comparada; não deseja ser secularmente menosprezada, por não estar exercendo sua profissão e não ter ainda um curso de mestrado no currículo; não quer ser pressionada no planejamento de ser mãe, simplesmente por acharem que é isso que precisa mais que tudo; enfim, não quer sentir-se inferiorizada por razões que a “fôrma social” impõe e nas quais não está encaixada…

Mas, ao mesmo tempo, quer lembrar-se de que é pó (Salmo 103:14), que é apenas um sopro passageiro (Isaías 2:22), um caco entre tantos outros (Isaías 45:9) e que o que mais importa é agradar a Deus e não aos homens (Atos 5:29)… E nesse agradar, deve amar a Deus acima de tudo e ao próximo como a si mesma (Marcos 12:30,31), compartilhar força e fraqueza no intuito de igualar-se em humanidade aos demais (Romanos 12:3), mas ainda assim, ser diferente, por saber da unicidade especialmente planejada pelo Criador que fez “uma estrela diferente em glória de outra estrela” (I Coríntios 15:41b adaptado) .

E, hoje, especialmente, peço que minha não desistência se volte para os injustiçados, para a preciosidade do ser humano, para o amor e o perdão, para a busca pela excelência em tudo que fizer conforme as minhas forças (Eclesiastes 9:10), para a qualidade de vida no cuidado do templo do Espírito Santo (I Coríntios 6:19), para o ser amiga… Que na sujeição à vontade divina, eu, espontaneamente, abdique dos meus sonhos egoístas e viva em constante mudança (Romanos 12:2), mesmo ficando como a minoria perante a sociedade, pois, como já se disse: “Um + Deus = maioria”!!! 😀

Para cantar: Quem sou eu?, com PG