Arquivo mensal: maio 2012

À minha mamãe Renate

AS PALAVRAS SÃO VÃS…

…MAMÃE, PARA DESCREVER E RELATAR

SEM DESMERECER E DIMINUIR O DAR

CONSTANTEMENTE PRESENTE NESSE VIVER

PRESENTEADO POR DEUS A QUEM O TER

AO SEU LADO DESDE O NASCIMENTO

VIGIANDO E CUIDANDO A CADA MOMENTO

DO TESOURO QUE RECEBEU NA MÃO

PARA O QUAL BOM FUTURO QUER O CORAÇÃO

MUITAS VEZES DOENTE OU CHORANDO

O FARDO DA RESPONSABILIDADE LEVANDO

A TRISTEZA PARA A ALEGRIA CEDENDO

QUANDO VÊ PREMATURO CORRENDO

PRIMEIRAS PALAVRAS E SORRISO

DO DENTINHO AO DENTE DE SISO

SEMPRE EM TUDO LADO A LADO

E ENSINANDO O SER AMADO

À VERDADE QUE LIBERTA SEGUIR

COMO SERVA MOSTRANDO COMO SERVIR

DESSE VERBO, DE DEUS ATRIBUTO, O AMAR…

AH! PALAVRAS QUE AGORA FOGEM

ESCONDEM-SE, EMBARCAM EM VIAGEM

DEIXANDO ANSIOSO E LIMITADO

O CORAÇÃO QUE AGRADECER TEM TENTADO

MAS …AS PALAVRAS SÃO VÃS…

Anúncios

Epifania

Fale-a vagarosamente: e – pi – fa – nia … Boa de se pronunciar, não é? Excluindo-se o sentido religioso, estabelece uma apreensão, geralmente inesperada, do significado de algo, conforme o Priberam.

Acredito que quando concretizada em nós, finitos seres, é quase transcendental. Harmoniza-se perfeitamente com sublimidade, elevação, nobreza, engrandecimento.

Mas, ao invés de, por sua superioridade, ser pedante ou presunçosa, foge da vaidade, por reconhecer-se devedora. Sim, há dívidas que os possíveis anos da existência humana não poderão, jamais, quitar.

Só essa compreensão abre espaço para a gratidão, com humildade e reconhecimento. Por exemplo, escrever ao som de músicas eruditas, compostas há anos, por gênios com acesso a mil vezes menos recursos que os atuais: vivência impagável, com certeza!

É o que estou fazendo enquanto esses caracteres vão se unindo, formado palavras, orações e, por fim, mais um post. Amo músicas clássicas! Tocam a alma, trazendo à tona os melhores sentimentos…

A grandeza, o desafio que foi colocar cada nota na partitura, com os tempos retratados pelas figuras devidas e, ainda mais, repetir todo o trabalho para cada instrumento da orquestra escolhido pelo compositor para melhor representar o som desejado, a fim de fazer o ouvinte pintar quadros diversos durante a execução da obra…

O coração acelerado ou não, conforme o ritmo; o sorriso de admiração; a sensação única pelo privilégio; a comoção terna; o provocar de um raciocínio mais límpido… Até mesmo a tristeza, por vezes submersa, aumentada durante a audição, para, logo em seguida, ser extinta pela catarse experimentada… Vale lembrar que sou leiga e é dessa forma que interpreto meu encantamento por tamanha beleza.

O biólogo Nicholas Hudson tentou explicar a preferência do cérebro pela música clássica, teoria já comprovada em pesquisa científica, com o fato de ser da nossa natureza sentir mais satisfação ao realizarmos uma tarefa mais complexa – artigo publicado em http://hypescience.com/o-cerebro-prefere-musica-classica/.

Não entendo, ainda, plenamente, a razão dessa fruição. Não consigo nem recordar-me do primeiro contato. Por enquanto, deleito-me com a simples constatação. Enfim, preciso mesmo é de uma epifania para me expressar melhor e coerentemente sobre… Ou não seria a música erudita justamente uma epifania pura?

Confira… ♪ ♫

 

Antônimos

Momentos…

Afinados ou desentoados

Audíveis ou imperceptíveis

Autênticos ou reproduzidos

Belos ou feios

Bons ou maus

Brandos ou hostis

Coloridos ou desbotados

Concentrados ou alienados

Corajosos ou medrosos

Detalhados ou superficiais

Divertidos ou entediantes

Doces ou salgados

Educados ou incultos

Felizes ou tristes

Grandiosos ou exíguos

Harmoniosos ou dissonantes

Iguais ou distintos

Inesquecíveis ou olvidáveis

Ingênuos ou sagazes

Justificados ou infundados

Ligeiros ou lentos

Longos ou breves

Melhores ou piores

Mensuráveis ou infinitos

Movimentados ou estáticos

Noticiados ou omitidos

Organizados ou caóticos

Perfumados ou inodoros

Poupados ou perdidos

Quentes ou frios

Resolvidos ou vacilantes

Saborosos ou insossos

Seguros ou arriscados

Trabalhosos ou preguiçosos

Únicos ou corriqueiros

Visíveis ou velados

Enfim, antônimos que compõe a vida

Redigindo a biografia de cada ser…

Passageiro palavrear em caracteres

P.S. Hoje, seis de maio, é meu aniversário. Para saber a minha nova idade, basta contar a lista de antôminos… 😉

Vai um cineminha, aí?

Quem ‘tá a fim de assistir aOs Vingadores\o/

Convite digno esse, não é, Alana? Confesso que estou morrendo de vontade de ir ao cinema para conferir esse filme. Os comentários e postagens nas redes sociais dizem que ficou muito bacana e que já é mais um dos batedores de recordes de bilheteria.

O que faz um longa-metragem ser um sucesso desses? Será o lance dos recursos gráficos modernos utilizados, gerando efeitos fantásticos? Sentir o drama da história envolvendo o bem na luta contra o mal, com muita ação e adrenalina? Os super-heróis arrebentando, cada qual com seus valores, com os quais tentamos nos identificar?

Acredito que o ‘mix’ de todos esses ingredientes geram esse resultado milionário e a disposição dos cinéfilos #entenda-se:quemcurtecinema em enfrentar filas e esperar pela disponibilidade dos ingressos e horários, mesmo sem a certeza de rolar o programa combinado no mesmo dia…!

Mais tenso que isso é ir, mesmo sem gostar do gênero, para estar com a galera. Por exemplo, só se estivesse maluca pra gastar tempo e dinheiro com filme de terror! #nuncameconvideplease Mas, sei da importância para a fase ‘teen’ de se viver esse estilo #TamoJunto [ ]  

Isso dá a chance para parcerias que podem durar a vida inteira #entenda-se:amizadereal. A questão mais importante aqui são as escolhas feitas, desde um filme até um negócio mais sério, tipo com quem se casar {♥ ♥ ♥}, pois cada escolha é revelada em ações, as quais tem consequências.

Em uma estatística feita entre adolescentes brasileiros,  #nolinkhttp://cgoulart.tripod.com, a maioria prefere:

  • comer pizza e sanduíches, sempre em companhia dos amigos;
  • comprar em shoppings centers, com um olho na etiqueta e outro no preço;
  • beber coca-cola e guaraná, mas, também, achocolatados e sucos naturais;
  • comprar, se pudesse, uma bmw ou o novo uno, dos nacionais;
  • usar mochila e boné #osmano ou bolsa e perfume preferido #asmina;
  • curtir o som de Justin Bieber, Luan Santana, Demi Lovato, APC 16, Khorus, Barlow Girls, Pâmela etc;
  • “ir na onda” e seguir a turma, influência que se estende até à carreira escolhida.

Quando levei esses dados aos alunos da Classe dos Adolecrentes, da EBD da Pib Caruaru, tendo apenas acrescentado o gosto deles no quesito música gospel não trazido no artigo original, achei super interessante saber que os caruaruenses são diferentes na categoria profissão ou carreira, pois afirmaram que a característica do “ir na onda” não tinha nada a ver com eles e que se sentiam livres para fazer essa escolha!

Obviamente, fiquei feliz d+ com essa postura. 😀 E é exatamente isso que quero incentivar aqui e agora: fique de olho vivo, adolescente, a cada nova escolha = ação = consequencia! Como escreveu o grande Paulo: “O que o homem semear, isso também colherá!” (Carta aos Gálatas 6:7b) E é pra valer: o semear sempre vem antes do colher! E não espere colher laranjas doces em um pé de limão, ok? Como indagou o Mestre dos mestres: “Pode alguém colher uvas de um espinheiro ou figos de ervas daninhas?” (Evangelho segundo Mateus 7:16b)

Da hora é vc poder dizer, um dia, como Paulo, verdadeiro modelo de super-herói: “Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé.” (II Carta a Timóteo 4:7) Então:

Você quer ser amado? Ame.
Quer ser respeitado? Respeite.
Quer ter paz? Viva em paz com todos.
Quer tirar boas notas? Estude.

Quer assistir aOs Vingadores? Véi, na boa, compre um ingresso a + e me chame… 😉